Arquitetura autoral se destaca em Goiânia

Edifícios que fogem do tradicional chamam a atenção no cenário urbano

Goiânia sempre foi uma cidade que chamou a atenção por sua arquitetura. Na época de sua fundação, na década de 30, o destaque foi as construções no estilo art déco, as quais resistiram e foram reconhecidas com o tempo, pois 22 prédios e monumentos públicos são tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Por sua vez, nos últimos anos, o design moderno dos edifícios é que estão se destacando no cenário urbano da capital de Goiás.

 

Na visão do arquiteto Frederico Bretones, os prédios são importantes na composição do desenho urbano no qual estão inseridos. “A paisagem urbana é formada por edifícios que podem virar marco na cidade, podem passar a ser uma referência. Se tiverem uma arquitetura, vão contribuir para a cidade ficar mais bonita. É importante investir nos desenhos para fazer parte da paisagem com valor estético”, salienta o profissional.

 

O arquiteto foi o responsável pelo projeto exterior do Gyro Rooftop, da Opus Incorporadora, que ganhou o prêmio Master Imobiliário deste ano, na categoria soluções arquitetônicas. A premiação é a maior e mais importante do setor no País. “Foi uma enorme satisfação ter esse reconhecimento, reflete o entendimento que a arquitetura tem um diferencial. Esse empreendimento mesclou apartamentos compactos de um quarto com apartamentos de dois e três suítes com piscina. Agenciar todas essas tipologias em um edifício é um desafio muito grande e o prêmio reconheceu tudo isso”, afirmou.

 

Sobre a inspiração para seus projetos, Frederico Bretones explica que é algo acumulado com o tempo. “O profissional de arquitetura reflete a bagagem de história, estudos, uma formação multidisciplinar que vai moldando nossa maneira de pensar. A inspiração vem desde de grandes arquitetos quanto de pinturas e da natureza, a qual possui uma variedade enorme de composições”. Em relação aos materiais para as fachadas, o arquiteto ainda afirma: “Os revestimentos devem ser duráveis, apropriados aos métodos construtivos e ao clima da cidade, além de ter fácil manutenção”.

 

Sobre o processo de criação, o responsável pelos projetos exteriores da Opus Incorporadora destaca que, mesmo quando há um tema prévio, ele serve apenas de base para o que será criado. Frederico Bretones cita como exemplo o Opus Araguaya, inspirado no Rio Araguaia. “Mesmo dizendo que a inspiração é no rio, isso é apenas o início do desenho, pois buscamos trazer uma ideia nova. O tema é o ponto de partida, mas não significa que será a reprodução exata. Posso pegar a ideia e desconstruir ela”, explica.

 

Assimetria e vegetação


Alguns edifícios possuem uma arquitetura escultórica, pois se tornam uma obra de arte na paisagem urbana como o Opus Vítreo, com obras em andamento. O empreendimento possui fachadas assimétricas, como o já entregue City Hall Park Residence ou o Opus Acqua, em fase final de construção. Sobre essas, o arquiteto ressalta que tudo é exequível. “Sempre busco um desenho inovador. Muitas vezes é possível pegar algo que costuma ser trabalhado de maneira simples e fazer de outra forma, trazer inovação. Porém, algo que seja possível de ser executado e viável economicamente e tecnicamente”.

Alguns empreendimentos projetados por Bretones possuem uma rica vegetação na fachada, como os já entregues Opus Verti e Araguaya, ou o último lançamento comercial da incorporadora, o Pateo 136, o office com cara de home. Outros possuem arquitetura orgânica, como o recém lançado domingona By Opus, que possui design original marcado por linhas curvas e varandas desenhadas uma a uma.

 

“O uso de vegetação nas fachadas nasceu após conclusão de que as pessoas buscam locais agradáveis, como morar em um apartamento como se fosse casa… é oferecer uma qualidade de espaço. Esse uso de vegetação tem sido reconhecido como um ganho, as pessoas visitam os decorados e sempre gostam. E essa fachada é pensada para não ser um problema, para que não encareça e seja bem resolvido tecnicamente e só traga qualidade de vida. E esse resultado tem sido alcançado”, salienta Frederico Bretones.