Incorporadora chega para atender demanda da classe média em Goiás

Especialistas do mercado imobiliário goiano perceberam necessidade na área e firmaram parceria para supri-la

Depois de crescer 57,5% no ano passado – com R$ 124 bilhões liberados pelos bancos -, o volume de financiamentos imobiliários deu um novo salto de 113% no primeiro trimestre de 2021, na comparação com os três primeiros meses do ano passado. De acordo com os dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), as operações entre janeiro e março chegaram ao valor recorde de R$ 43,1 bilhões, com 187,6 mil unidades vendidas.

E para atender essa demanda, principalmente da classe média, os engenheiros Paulo Humberto Guimarães e Rodrigo Lima, que juntos somam quase 45 anos de expertise no mercado imobiliário nacional,  fundaram em Goiânia, em 2019, a In Inteligência Construtiva.

Rodrigo desenvolveu diversas incorporações imobiliárias, loteamentos, condomínios fechados, shoppings centers e gestão comercial. Atualmente é responsável pela estruturação, desenvolvimento, implantação e gestão de empreendimentos no Centro-Oeste, Tocantins e interior de São Paulo.

Co-fundador da In Inteligência Construtiva, Paulo Humberto Guimarães tem sólida experiência no mercado imobiliário nacional, atuando em posições estratégicas e de liderança executiva em empresa multinacional de grande porte. Ainda atuou como conselheiro e membro de comissões de âmbito nacional e internacional.

Os sócios se conheceram quando trabalhavam juntos na MB Engenharia. Depois atuaram em outros projetos e agora firmaram nova parceria. “Nosso desejo é reinventar o conceito de moradia e transformar o modo como as pessoas vivem. Queremos ser reconhecidos pela inovação e como oferecemos soluções de moradia integrada e completa. Viemos para fincar bandeira”, destaca Paulo Humberto.

 

Projetos e investimentos


Segundo Rodrigo Lima, o objetivo da In Inteligência Construtiva é fazer projetos em regiões mais urbanizadas para o público da classe média e média baixa. Com 24 anos de atuação no mercado imobiliário, ele destaca a demanda desta área. “Venho acompanhando a carência de players (empresas) para esses produtos. As que existem em Goiânia são basicamente as nacionais. Existe ainda uma demanda de produtos nessa faixa, então faz sentido avançar nesse nicho”, destaca. A expectativa é que até o final de 2022 a IN tenha lançado 500 unidades habitacionais no Estado.

 

Já Paulo Humberto detalha os próximos projetos. “Teremos um lançamento para o início do ano no Setor Estrela Dalva, em Goiânia, com previsão de início de obras já em janeiro do próximo ano. E em 2022 também temos outros dois lançamentos previstos, um em Anápolis e outro no Setor Goiânia 2, na capital. Somente para o primeiro projeto o investimento previsto é de R$ 13 milhões, com previsão de 80 empregos diretos”, explicou.