Home office leva mudanças aos empreendimentos

Muitos lançamentos, tanto residenciais quanto comerciais, já estão adaptados às novas necessidades pós-pandemia

Com a pandemia da Covid-19, o trabalho remoto foi adotado por empresas de diversos segmentos. O que antes era desejo de muitos trabalhadores e realidade em poucos lugares, passou a ser necessidade. Dois anos após o início do surto no Brasil, a maioria das empresas retomou a rotina presencial ou adotou um sistema híbrido. No entanto, com outras cepas aparecendo e surto de gripe, algumas cidades já começam a retomar medidas restritivas e as empresas analisam o retorno do home office.

Uma pesquisa divulgada em setembro e realizada em conjunto pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (FEA-USP) e Fundação Instituto de Administração (FIA), mostra que a intenção dos brasileiros de permanecerem trabalhando em casa é alto: 73% das pessoas entrevistadas estão satisfeitas com o trabalho remoto. Esse número cresce para 78% quando se considera a intenção de manter a mesma rotina após a pandemia, ante 70% em 2020. Já o número de trabalhadores que querem voltar aos escritórios diariamente caiu de 19% para 14%.

Atenta a todas essas demandas, a Opus Incorporadora tem feito projetos já adaptados aos novos tempos e suas necessidades. No ano passado, por exemplo, lançou o Deck 23 by Opus, o qual terá um espaço compartilhado de coworking na área comum do residencial com salas para uso individual e reuniões. Além disso, o empreendimento, que será erguido na Rua T-53, em frente a praça T-23, no Setor Bueno, em Goiânia, busca deixar o apartamento mais aconchegante para o uso da família por mais tempo.

“Quem faz o home office quer um local confortável e agradável, afinal passará o dia todo em casa. E o Deck 23 tem uma proposta inédita de arquitetura que une o espírito de uma residência com a comodidade de um apartamento e o frescor de um jardim trabalhado com elementos naturais, muita luz e ventilação”, detalha o diretor da Opus Incorporadora, Dener Justino, sobre o empreendimento que terá varandas em decks amplos de madeira e com pocket gardens, ou seja, jardins privativos.

Comercial


Os ambientes comerciais também estão se adaptando ao mundo pós-pandemia. Lançado pela incorporadora no segundo semestre do ano passado, o Pateo 136 mostra como isso é possível. “A Opus mapeou as necessidades do mercado e desenvolveu tipologias novas, pois as pessoas não querem mais os espaços privativos que existem hoje. O Pateo 136 tem muito verde, espaços abertos, maior circulação de ar e serviços de soluções repensados para atender tanto ao usuário quanto aos seus clientes”, ressalta Dener Justino.

Chamado de office com cara de home, o Pateo 136 será erguido na Avenida 136, no Setor Marista, próximo ao encontro da via com a Avenida 85, e terá uma fachada com varandas, algumas com pé direito duplo, muita vegetação e revestimento de tijolos. As salas também terão varanda, recebendo mais iluminação e ventilação natural. No 4º andar, será instalado o Mezanino Garden, com  lounges e um espaço de convivência ao ar livre para momentos de descompressão e relaxamento dos usuários do edifício.

“Com o home office, mudou a relação com o local de trabalho como um todo, as pessoas agora querem uma atmosfera mais humana e natural, mais conforto e bem-estar dentro do ambiente corporativo. Elas estão buscando espaços flexíveis, conectados, tecnológicos, modernos e seguros e foi isso que colocamos no Pateo 136 Opus”, considerou o diretor da incorporadora, Dener Justino.