Operação mira suspeitos de comércio ilegal de agrotóxicos

Conforme a polícia, o prejuízo causado pelo crime é de aproximadamente R$ 500 mil

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por intermédio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais (DERCR), em operação conjunta com a Polícia Rodoviária Federal (de Mato Grosso e de Goiás), deflagrou a segunda etapa da Operação Terra Santa, com o objetivo de reprimir o comércio de agrotóxicos ilegais.

De acordo com as investigações, foi identificado novo local em que ocorria o armazenamento ilegal de agrotóxicos. O material foi localizado em um estabelecimento empresarial de Morrinhos. Um homem de 37 anos, representante comercial da empresa, foi preso em flagrante por infração penal prevista na Lei de Crimes Ambientais, punível com reclusão, de um a quatro anos, e multa.

“Foi realizado exame pericial no local, por parte do Ibama, que constatou a irregularidade dos agrotóxicos. O material apreendido aguarda autorização judicial para ser encaminhado ao Ibama para a destinação ambiental adequada”, afirma a polícia.

Conforme a corporação, as diligências policiais foram desencadeadas após o compartilhamento de informações entre as instituições envolvidas, um dos pilares de trabalho da DERCR. As investigações prosseguem para identificação dos demais envolvidos. Embora não seja possível ainda precisar o prejuízo causado ao crime, estima-se em aproximadamente meio milhão de reais em razão da expressiva quantidade de agrotóxicos apreendidos.