Aparecida amplia proteção infantil contra Covid-19 com vacinação itinerante em mais de 50 escolas

Com o objetivo de facilitar o acesso à imunização e evitar aglomerações, a campanha começou nesta quinta-feira (20) no Colégio Estadual Jardim Cascata, principal escola da comunidade quilombola da cidade

[media-credit name=”Vacinação no Colégio Estadual Jardim Cascata seguirá até esta sexta-feira (21) – Foto: Enio Medeiros” align=”alignnone” width=”547″][/media-credit]

A Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia (SMS) iniciou, às 8h30 desta quinta-feira (20), uma série de visitas em escolas da cidade para vacinar crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19. A campanha foi aberta no Colégio Estadual Jardim Cascata, principal escola da comunidade quilombola local, que sediará essa vacinação hoje e amanhã (21), das 8h30 às 11h e das 13h30 às 17h, para cerca de 250 crianças de 5 a 11 anos alunas da instituição e moradoras da região.

Neste primeiro ciclo de imunizações, que se estenderá até 28 de fevereiro, as equipes da SMS visitarão mais de 50 colégios públicos e privados, mas outras escolas deverão ser contempladas até o final da campanha. A SMS escolheu o Colégio Jardim Cascata para abrir a maratona de visitas devido ao local ser destinado à comunidade quilombola, considerada prioritária na vacinação infantil no País.

Proteção e carinho

O primeiro a ser vacinado no Colégio Jardim Cascata foi o pequeno Dionemar Júnior, de 6 anos, morador do Jardim Ipanema. Acompanhado da mãe Núbia de Oliveira Campos, ele manteve a expressão séria durante a vacinação e só chorou um pouquinho segurando a mão dela. Animado com as câmeras da imprensa, deu um espetáculo de conscientização afirmando que “todas a crianças devem se vacinar para ficarem protegidas contra a Covid”.

Minutos depois foi a vez do Kalel, de 9 anos, receber a vacina. Fortemente abraçado com a mãe, Realina Taita, moradora do Jardim Cascata, ele caiu no choro durante a aplicação, mas depois se acalmou. Quem também não conteve as lágrimas foi Realina, que se declarou “emocionada e aliviada” por poder garantir mais proteção para o garoto.

“Levamos essa vacinação até a duas escolas do município por dia para facilitar o acesso e ter mais adesão à imunização nesse momento, em que há disseminação de notícias falsas e também a insegurança de alguns pais em vacinar seus filhos. Seguimos todas as recomendações da Anvisa e estamos usando um lote de vacinas que já estava no município e que não tem nenhum problema”, ressalta a coordenadora de Imunização, Renata Cordeiro.

Especificidades da vacina pediátrica

A SMS lembra que a vacina contra a Covid-19 não é administrada junto com outras do calendário infantil. Para as crianças, o prazo entre a aplicação desse imunizante e de qualquer outra vacina é de 15 dias.

“Assim como em adultos, o esquema básico de vacinação pediátrica contra a Covid-19 ocorrerá por meio da aplicação de duas doses da Pfizer, no intervalo de 8 semanas, mas a dosagem, composição e concentração da vacina infantil são diferentes da vacina aplicada em adultos”, reforça Renata Cordeiro.

Reações adversas

Renata ainda tranquiliza os pais e responsáveis acrescentando que “assim como outras vacinas do calendário infantil, esse imunizante pode gerar algum desconforto tipo dor no local, alguma vermelhidão, um pequeno inchaço, e até uma febre baixa, mas essas são reações esperadas e é indispensável proteger as crianças, sobretudo nesse retorno às aulas”.