Campanha de conscientização reduz pichações em residenciais

Após sucesso de pacto com pichadores durante construção, empreendimentos prontos mantêm projeto para para diminuir depredações em muros. Além de reduzir prejuízos econômicos, ação diminui poluição visual

A Lei de Crimes Ambientais tipifica a pichação como um ato de vandalismo e crime ambiental, o que pode render detenção de três meses a um ano, além de multas. Apesar disso, a legislação não parece intimidar os pichadores, bastando andar pelas ruas das cidades para encontrar residências e comércios com suas fachadas pichadas. Além de gerar problemas econômicos, as depredações também provocam poluição visual na cidade.

 

Para contribuir com a diminuição do problema, projetos e ações são realizados em várias partes do País. A MRV, uma empresa do grupo MRV&CO, maior construtora da América Latina, por exemplo, propõe um pacto social para conscientizar os pichadores e, assim, retribuir com solidariedade e gentileza à comunidade.

 

Em Goiás, a companhia realiza regularmente a doação de cestas básicas para instituições de caridade e comunidades carentes sempre que os muros de seus seis empreendimentos em construção em Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia não são pichados. Placas são colocadas ao longo do muro do canteiro de obras explicando sobre a ação: “Sr. Pichador, a cada mês que este muro permanecer limpo, a MRV doará uma cesta básica para uma creche ou instituição de caridade da sua cidade”. Esta frase foi colocada em placas fixadas nos empreendimentos da construtora, com o intuito de manter os muros das obras limpos.

 

Segundo o gestor executivo de obras da companhia, Antônio Caio Ribeiro, a cultura da empresa é fazer o muro, as calçadas e paisagismo externo dos empreendimentos já no início da construção como forma de trazer o bem-estar urbano desde o momento em que chega da companhia  em cada bairro. “A ideia de propor esse pacto social com os pichadores surgiu com o propósito de manter essa harmonia visual”, informou.

 

A campanha da construtora serviu, inclusive, de inspiração para que os moradores continuassem com a campanha de arrecadação de alimentos. Após as entregas dos residenciais Gran Vitta e Gran Valley, no Setor Perim, na capital goiana, as placas informativas fixadas nos muros pela MRV foram mantidas e os moradores assumiram a contrapartida das doações. Os residenciais estão há 1 ano e 6 meses, respectivamente, sem sofrer com esse tipo de depredação.

 

“O resultado continua sendo positivo. Estamos eliminando a poluição visual e a degradação do patrimônio”, conta o atual síndico dos dois residenciais, Agnaldo Eterno dos Santos. “Infelizmente, a pichação ainda é uma prática comum, mas com essa campanha conseguimos reduzir os números. Uma iniciativa que deu muito certo e continua dando, pois as placas informativas afixadas nos empreendimentos continuam fazendo com que o condomínio seja preservado de atos como esses”, completa Agnaldo.

 

Bons resultados

 

De acordo com Caio, a ação é realizada nacionalmente e o pacto é entregar uma cesta básica a cada 190 unidades em construção, a cada mês. “A iniciativa tem dado bons resultados, já que a ação está em atividade há quase quatro anos e registrou poucas pichações desde quando foi implantada. Estamos, por exemplo, há mais de um ano sem ter os muros dos empreendimentos em construção pichados”, diz o gestor. A próxima entrega está prevista para maio, quando 24 cestas básicas serão destinadas a instituições filantrópicas, correspondendo a quatro meses de muros sem pichação.