Esportistas do dia a dia: bicicleta vira meio de transporte para trabalhadores, em Goiânia

Esportistas do dia a dia: bicicleta vira meio de transporte para trabalhadores, em Goiânia

A bicicleta tem se tornado cada vez mais frequente na vida dos brasileiros. Seja para usar como transporte ou para a prática de lazer e esporte, o uso da bike, ou da magrela, tem ganhado ainda mais espaço durante a pandemia. Segundo levantamento da Associação Brasileira do Setor de Bicicletas (Aliança Bike), em abril de 2021 foi registrado um aumento de 100% nas vendas de bicicletas no Brasil, motivado pela economia com combustível cada vez mais caro e, principalmente, pela confiança de seus adeptos para prática de esportes de maneira segura contra o Covid-19.

 

De acordo com estudo lançado em 2021 pela consultoria de mobilidade urbana Multiplicidade, com base na Pesquisa de Orçamento Familiar do IBGE, o Brasil conta com cerca de 33,2 milhões de bicicletas nas residências brasileiras. Somente em Goiás são mais de 1,3 milhão. Uma delas é do eletricista Mário Sérgio, que há mais de um ano optou em adotar a bicicleta como alternativa para manter a prática de atividades esportivas e os cuidados com a saúde.

 

“Eu também gosto muito de jogar futebol, mas às vezes falho alguns dias, sem falar que eu pratico uma ou duas vezes por semana. Já a bicicleta eu uso todos os dias para ir trabalhar porque eu consigo aliar o deslocamento para o trabalho e praticar uma atividade física para deixar o meu corpo em forma”, destaca o eletricista, que pedala cerca de 16 km por dia do Jardim Bela Vista até o canteiro de obras do Talk Marista, residencial da GPL Incorporadora, localizado no setor Marista.

 

Mário Sérgio afirma que as mudanças são nítidas em seu cotidiano, principalmente em relação ao bem-estar. “Eu estava bem acima do peso, mas agora eu consegui controlar isso e ainda chego mais disposto a trabalhar e fazer minhas atividades no cotidiano”, destaca. O trabalhador é um exemplo da importância das atividades físicas diárias. Segundo estudo publicado no British Medical Journal, ir ao trabalho de bicicleta representa um risco de morte por alguma doença grave, como diabetes e do coração, 41% inferior em comparação com quem faz o mesmo deslocamento de carro ou em transporte público.

 

Bem-estar e saúde

 

A GPL também tem buscado incentivar outros colaboradores a adotarem o uso da bicicleta. Uma das últimas iniciativas foi a construção de um bicicletário com peças descartadas dos canteiros de obras. De acordo com a coordenadora de segurança do trabalho e ações sustentáveis da GPL, Danielle Alves, a ideia de implantar o bicicletário surgiu ainda em 2020, já no período da pandemia.

 

“Percebemos que muitas pessoas passaram a vir de bicicleta para fugir das aglomerações dos ônibus. Depois, a gasolina ficou mais cara e outras pessoas passaram a deixar o carro ou a moto em casa para economizar. Por isso, decidimos fazer esse espaço com materiais reaproveitados das obras e espalhar algumas frases de incentivo para que os trabalhadores passassem a usar a bicicleta por questões de saúde e evitar o transporte coletivo”, explica Danielle.

 

A empresa também distribuiu cartazes pela obra mostrando os benefícios da prática dos exercícios físicos. Em um deles, a construtora elenca alguns benefícios da bicicleta para a saúde, como a queima de calorias, o aumento da disposição e resistência, prevenção de doenças crônicas e controle da ansiedade. “O objetivo é justamente incentivar a prática saudável por meio da conscientização dos trabalhadores. Ainda percebemos que os trabalhadores que vão de bicicleta acabam influenciando os demais”, finaliza a coordenadora.