Fuja de golpes: saiba como investir em criptomoedas e garantir rentabilidade

Especialista dá dicas de como investir em criptomoedas com segurança, tendo em vista o aumento no número de golpistas e esquemas de pirâmide financeira

Destaque no mercado de investimentos, a criptomoeda vem alcançando lugares jamais vistos no cenário financeiro e atingindo cada vez mais brasileiros. Segundo pesquisa feita pela Hashdex, maior gestora de criptomoedas do país, somente em 2021 o número de investidores em moedas digitais no Brasil cresceu 938%, passando de 30 mil para mais de 410 mil pessoas interessadas nesse tipo de investimento. Somente entre dezembro do ano passado e janeiro deste ano, o número total de investidores cresceu 4%, atingindo 427 mil pessoas.

Atualmente, a criptomoeda mais conhecida e utilizada é o Bitcoin, criada em 2008 para ser uma alternativa ao sistema bancário. Anos depois, investidores passaram a ter acesso a diversas outras, como a Ether (Ethereum), XRT, Binance Coin, entre outras, e também cresceu a preocupação com a segurança, pois golpistas passaram a agir para tirar algum proveito.

Vale lembrar que a tecnologia blockchain, utilizada para registrar e validar as transações com criptomoedas, é segura . E sem poder burlar esse sistema, bandidos passaram a recrutar o maior número de pessoas que tem interesse em fazer investimentos e criam esquemas de pirâmide financeira, que promete ganhos exorbitantes a curto prazo investindo neste sistema e até mesmo utilizando das blockchains, porém para golpes.

Nos últimos meses, o Brasil conheceu um dos maiores golpistas do mundo dos investimentos: Glaidson Acácio dos Santos, mais conhecido como “Faraó dos bitcoins”. Ele foi preso por suspeita de operar um milionário esquema de pirâmide financeira. Segundo as investigações, o homem prometia lucros de até 10% ao mês nos investimentos em criptomoedas, mas a empresa não investia em bitcoins —os lucros eram pagos a clientes através da entrada de capital de outras pessoas atraídas pela proposta de investimento.

“A população está começando a despertar para os investimentos em criptoativos, porém esse é um universo novo para a maioria. Então é preciso tomar tomar algumas precauções para não cair em golpes ou armadilhas” diz  Cleberson Marques, especialista em desenvolvimento e inovação imobiliária, e um dos fundadores da Terra Token – primeira startup do Centro-Oeste especializada na estruturação de tecnologia para a realização de transações em criptomoedas e tokenização de ativos imobiliários. Ele deixa dicas de como investir em criptomoedas com segurança. Veja:

 

BUSQUE INFORMAÇÕES SOBRE AS CRIPTOMOEDAS 

Por se tratar de um tipo de negócio novo, invista em conhecimento. Procure aprender o conceito e a mecânica de funcionamento dos criptoativos,  além das notícias que tratam do assunto. “Na internet, é possível encontrar bons conteúdos gratuitos em texto, vídeos e podcasts e até cursos, através dos quais podemos aprender muito “, diz Cleberson. O cuidado, nesse caso, é buscar fontes confiáveis.

 

PESQUISudeste O HISTÓRICO DA EMPRESA E PROFISSIONAIS

Segundo Cleberson Marques, na hora de investir, não é necessário ter um intermediário, mas é indicado buscar ajuda especializada, pois no início é preciso de uma exchange para converter o dinheiro em criptomoedas e hoje os bancos não fazem isso. Após a conversão realizada pela exchange, o investidor pode optar por tirar as criptomoedas desta empresa (centralizada) e enviar, sem nenhum intermediário, para uma Wallet.(carteira pessoal) e administrá-lo..

Outra orientação dada pelo especialista para começar a investir, é buscar a procedência dos operadores. Os futuros investidores devem avaliar e pesquisar a reputação da empresa, devem observar o nível de transparência das informações, como as cotações atualizadas, a quantidade de cripto listadas e a facilidade no rastreamento das operações.

Outro ponto a observar é a liquidez de negócios, que devem estar bem exposto, se as taxas cobradas são próximas as maiores exchange de mercado e se a plataforma tem selos que garantem a segurança do cliente, como exemplo o da ABCripto, Abfintechs, Gocach entre outros. As exchanges citadas pela ADVFN International Financial Awards por premiações ou que compõem o ranking do Blockchain Transparency Institute (BIT), são normalmente mais credenciadas e seguras no mercado cripto.

 

DESCONFIE DE RETORNOS RÁPIDOS E MUITO LUCRATIVOS

O especialista alerta que resultados “faraônicos” e exorbitantes não existem. “As pessoas estão acreditando nessas promessas e acabam caindo em golpes”, diz.

Ele explica que todas as empresas sérias trabalham com médio e longo prazo, então não há um retorno imediato daquele investimento e nem uma certeza de quanto receberá. “É muito improvável a empresa tentar garantir um resultado sem explicar a regra do jogo e mostrar com transparência como funciona essa flutuação da cadeia”, afirma Cleberson.

 

CUIDADO COM A SudesteGURANÇA APÓS O INVESTIMENTO

Após a conversão do investimento em criptomoedas, Cleberson orienta que o investidor deve continuar tomando alguns cuidados, principalmente com o local onde o valor está depositado. Mesmo a cripto sendo segura e impossível de ser falsificada, há risco da empresa de câmbio, onde as criptomoedas estão armazenadas, ser invadida e todos os dados dos clientes serem perdidos e expostos, inclusive suas reservas, por isso tenha certeza da solidez da exchange escolhida para iniciar suas operações.

Por isso, é importante tirar o dinheiro da exchange e transferir para uma carteira digital(wallet), pois a partir do momento em que essa transferência é feita, todas as suas criptos existentes na exchange são sacadas e permanecem somente no wallet. Segundo o especialista, a carteira digital é o ambiente mais seguro que o mercado oferece. “Ela é como se fosse um pendrive ou aplicativo, além de oferecer segurança criptografada e senha individual, ela é uma ferramenta que armazena informações que só quem tem a senha pode administrar”, finaliza Cleberson.