Moda dopamina: alto astral e bons sentimentos por meio das cores

Depois de dois anos de pandemia, nova tendência da moda reflete o anseio da população e o otimismo por tempos melhores

A dopamina é um neurotransmissor responsável por levar informações para várias partes do corpo e, quando liberado, provoca a sensação de prazer, recompensa, humor e aumento da motivação. A substância está envolvida nas emoções, nos processos cognitivos, no controle dos movimentos, na função cardíaca, no aprendizado, na capacidade de atenção e, embora seja produzida naturalmente pelo corpo, seus níveis podem ser aumentados por meio de fatores externos.

A princípio, esse é um tema científico que não parece se encaixar no contexto da moda. No entanto, nesse momento pós-pandemia de Covid-19, a moda dopamina surgiu como uma tendência que promete felicidade, renovação e desejo por dias melhores por meio de peças coloridas.

“As cores nunca estiveram com tanto destaque como agora. Estamos convivendo ainda de certa forma com o coronavírus e perdas, mas a esperança por dias melhores também é real e nada melhor do que cores, o elemento de maior impacto em nossa imagem, para representar esse desejo”, diz a consultora de moda e sócia do Espaço Integrado de Moda do Shopping Estação Goiânia, Maristela Barbosa.

Mudança no modo de vestir

Nos últimos dois anos, a Covid-19 provocou diversas mudanças de comportamento na população e, inclusive, no modo de se vestir. Inicialmente, a busca era pelo conforto, diante dos dias de quarentena e confinamento. Posteriormente, com o home office, houve uma grande procura por acessórios, para pontos focais de atenção durante as reuniões virtuais.

Atualmente, com o avanço da imunização e o retorno de atividades presenciais, prevalece entre as pessoas a sensação de otimismo e, por isso, muitas buscam, por meio das roupas, a energia para lidar com os novos desafios e as novas rotinas, após tantas transformações.

De acordo com Maristela Barbosa, até as pessoas mais discretas estão apostando nas cores como forma de “alegrar” um pouco mais as produções. Ela destaca que, independente das cartelas cromáticas e temperaturas, as cores marcam presença e ajudam nessa busca por energias mais vibrantes.

“Cores frias e quentes, fortes, intensas, vibrantes, estavam presentes no inverno e se colocam mais fortes ainda no verão. Muito rosa, verde, laranja e azul chegam em combinações cromáticas e também em estampas contrastantes, sempre remetendo muita comunicação, estilo e para quem acredita bons sentimentos e vibrações”, afirma ela.

Ainda conforme a consultora, as pessoas têm buscado mais cores e alto astral em todos os segmentos do vestuários. Roupas, calçados, acessórios e até nas maquiagens, que estão mais coloridas. “Geralmente, muitas pessoas consomem cores, mas de forma mais acanhada. E até mesmo essas estão investindo nas cores por meio dos acessórios, por exemplo, que também são grandes aliados nessa nova moda dopamina”, finaliza Maristela.