PCGO indicia jovem, mãe e avó pela prática de aborto, em Caldas Novas

A Polícia Civil, por meio da equipe do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Caldas Novas, concluiu hoje (21/7) inquérito policial destinado a investigar a prática de aborto, sendo indiciadas quatro pessoas: a própria gestante (19 anos de idade), a avó e a mãe da gestante (61 anos e 37 anos, respectivamente), bem como uma funcionária pública do município de Caldas Novas.

Segundo a PC, a gestante tomou medicação abortiva que gerou a morte do feto, cuja gravidez possuía tempo estimado de 16 semanas. Em decorrência de grande hemorragia apresentada pela gestante, ela precisou ser encaminhada a um hospital público da cidade para atendimento, na data do fato.

De acordo com a Polícia, a mãe e a avó contribuíram para o ato, tendo a mãe adquirido a medicação no Estado de Alagoas e enviado para a cidade de Caldas Novas. A avó foi responsável por receber o medicamento abortivo e repassá-lo à gestante. Ambas instigaram a gestante a praticar o ato.

“O inquérito também averiguou que uma servidora do município teria participado da infração, ensinando a gestante a forma de uso do medicamento abortivo, bem como acompanhando as duas oportunidades em que a medicação foi usada, além de auxiliá-la após a provocação dos efeitos colaterais do ato. O inquérito policial foi remetido à Justiça, para demais providências de âmbito penal”, disse a Polícia.