Projeto consegue cestas básicas coletando tampas de plástico

Cestampas conta com 80 pontos de coleta, o mais novo está localizado na sede da Consciente Construtora e Incorporadora, no Setor Bueno. Valor arrecadado com a coleta é revertido em alimentos

O Brasil ainda está derrapando em sua missão de reciclagem. De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), apenas 4% dos resíduos sólidos com possibilidade de reciclagem acabam sendo destinados a esse fim. O número é bem abaixo da média de 16% identificada em países como Chile, Argentina, África do Sul e Turquia, segundo dados da International Solid Waste Association (ISudoesteA).

 

Para incentivar a adoção dessa prática e proporcionar maior sustentabilidade ambiental, algumas iniciativas têm sido desenvolvidas para minimizar os impactos ambientais do descarte dos resíduos sólidos. Uma delas é o projeto Cestampas, desenvolvido em abril de 2021, ainda no auge da pandemia, que busca converter tampas de plástico que seriam descartadas na natureza em cestas básicas. Recentemente, o projeto fez uma parceria com a Consciente Construtora e Incorporadora para instalar um ponto de coleta na sede da empresa.

 

De acordo com o presidente do projeto, Edgar Morais, o objetivo da iniciativa é arrecadar cestas básicas para famílias em situação de vulnerabilidade por meio da coleta e reciclagem de diversas tampas de embalagens de garrafas pet, caixa de leite, shampoo, cremes, entre outros. “A ideia surgiu na pandemia quando muitas pessoas ficaram desempregadas e houve um aumento da busca por ajuda. Quando estava prestes a jogar uma garrafa no lixo, pensei: ‘por que não fazer para famílias carentes?’. Foi aí que surgiu o Cestampas”, lembra Morais.

 

Ao conhecer a iniciativa, a Consciente buscou meios para auxiliar o projeto. De acordo com o coordenador de responsabilidade socioambiental da empresa, Felipe Inácio Alvarenga, a construtora destinará um espaço para que qualquer pessoa da comunidade possa levar as tampas para a coleta seletiva.

 

“Ficamos sempre muito felizes em poder ajudar a comunidade. Já faz parte da nossa cultura, há muito tempo, realizar ações socioambientais para ajudar pessoas carentes e instituições de Goiânia que necessitam de ajuda. Ao ficar sabendo desse projeto, decidimos apoiar e deixar um local para juntar as tampinhas aqui na Consciente”, explica Felipe ao falar do novo ponto de coleta do Cestampas na esquina das avenidas T-2 com a T-55, no Setor Bueno.

 

Parceria
Atualmente, o projeto conta com cerca de 80 pontos espalhados em colégios, órgãos públicos, empresas e hospitais de Goiânia. Morais destaca que tudo o que é coletado é catalogado e separado por material e cores. Os valores dos produtos coletados vendidos para empresas especializadas em reciclagem variam de R$ 0,50 a R$ 4,00 e, para totalizar uma cesta básica, é necessário de 20 a 30 kg de material. “Atualmente, buscamos ajudar de 70 a 80 famílias cadastradas no projeto, mas a nossa arrecadação alcança entre 10 e 15 cestas por mês. Por isso, precisamos de mais apoio de toda comunidade”, destaca.

 

De acordo com Edgar, há também outras formas de as empresas apoiarem o projeto. “Atualmente, temos muitas despesas com o projeto, como banners, panfletos, caixa coletora, entre outros. Algumas empresas têm buscado doar alimentos para fazer as cestas básicas, mas ainda é necessário mais apoio para atendermos todas as famílias.