Retrofit de shopping goiano se destaca no cenário de novos formatos

Com reposicionamento e adaptações ao novo momento, Shopping Estação Goiânia conclui em breve a primeira das cinco etapas do projeto de modernização

Após anunciar o reposicionamento de mercado, que inclui diversas mudanças aceleradas pela pandemia e na busca por adaptação ao novo momento, o Shopping Estação Goiânia – com quase 15 anos de fundação – já iniciou o período de obras de retrofit. A técnica é conhecida mundialmente para revitalizar construções antigas, sem descaracterizar os elementos originais e históricos, mas garantindo o melhoramento das instalações, a atualização estética e a modernização da construção.

Divididas em cinco etapas, as intervenções começaram e a primeira delas deve ser concluída em breve. É o que conta o gerente operacional do estabelecimento, Diego Lemos. “Neste primeiro momento, a obra contempla a inserção do hipermercado Atacadão Costa (com 7 mil metros quadrados), que já tem mais de 70% da construção concluída e previsão de entrega para o primeiro trimestre de 2022”, explica. Outra mudança significativa da primeira etapa é a alteração nos acessos das avenidas Goiás e Oeste, que serão duplicadas de tamanho. “O local passará a ter duas entradas e duas saídas, facilitando o acesso de quem frequenta o estabelecimento”, detalha Diego Lemos.

Por estar inserido no segundo maior polo de confecção do Brasil, a Região da 44, o Shopping Estação Goiânia também pretende revitalizar nessa primeira etapa seu grande diferencial: o estacionamento, que conta com um número de vagas suficientes para comportar o público com conforto. Para esse ponto específico, o centro de compras traz uma nova gestão de equipamentos com a tecnologia da Nepos que, segundo Lemos, é a mais avançada do mercado.

“A partir de agora, o estacionamento vai funcionar com auxílio de cartão, o que gera uma redução no gasto de papel”, exemplifica Diego, que adianta, ainda, a remodelação do estacionamento com pintura epóxi e demarcação de vagas. Também será executada a revitalização da fachada oeste do shopping, dentro desta primeira etapa de obras, de acordo com o gerente operacional do centro de compras.

Diego aponta que as próximas etapas do retrofit estão em fase de projeto: “estamos investindo muito nesse projeto, nos cuidados com cada etapa, contratamos um levantamento topográfico em 3D, uma ação necessária para se ter um levantamento mais aderente da estrutura existente, facilitando a compatibilização dos projetos e evitando desvios na execução”, o que de acordo com o gerente, agrega bastante ao plano.

As próximas etapas de obras no Shopping Estação Goiânia envolvem os projetos de mercato, magazine, laje do primeiro piso, revitalização das demais fachadas, expansão de vagas de estacionamento para clientes e criação de novos acessos. Tais conceitos são totalmente novos e exclusivos na capital goiana na modalidade shopping.

Similar aos mercadões abertos com opções gastronômicas e artesanais, o mercato será uma grande novidade. Haverá ainda novos espaços externos abertos para circulação, com cafeteria. Para os negócios da moda e acessórios, as lojas serão distribuídas em formato 360, trazendo mais integração entre elas e a sensação para o consumidor de estar em um magazine.

Mini cidade

Experiente no mercado de shopping e autor de mais de 70 projetos no segmento, o conceituado arquiteto paulista Jayme Lago Mestieri é o responsável pelo projeto arquitetônico. “A pandemia ajudou a acelerar o processo de projetos abertos, por exemplo, que a economia já vinha pedindo. Os novos projetos de shoppings simulam cidades, com praças verdes, espaços abertos e de convivência. Agora, a necessidade é por projetos mais comunicativos com o entorno e com realidades de custo similares às das ruas”, considera o arquiteto, que executa exatamente esse conceito no centro de compras.

Neste projeto, que tem uma localização privilegiada na capital goiana, a ideia é se tornar um centro de soluções. “O novo modelo abriu a suas asas para se tornar um pólo de soluções diversas de consumo, conveniência, lazer e negócios. É muito mais diversificado que um shopping convencional e se torna uma solução para a população de Goiânia no seus diferentes momentos do dia. A fachada e a reforma interna serão polivalentes, terão uma comunicação clara, será um ambiente versátil, além de oferecer mais possibilidades do que anteriormente. Já em relação ao público, a expectativa é apresentar um novo DNA, algo novo, conciliatório, composto de diversas atividades e diversos públicos, o verdadeiro ponto de encontro na cidade”, reforça Jayme Lago ao se referir a localização do shopping, que se encontra em na região central de Goiânia, com bastante circulação de pessoas.

Com mais de 70 mil m² de área construída, o Shopping Estação Goiânia já abriga gigantes como a Leroy Merlin – a única da rede em Goiás -; a Universidade Estácio de Sá – referência em educação, com mais de 13 mil alunos -; e a academia BlueFit – uma das maiores redes de academia 24 horas do Brasil. Com o reposicionamento, chegará a 56 mil metros quadrados de Área Bruta Locável (ABL).