‘Só posso rezar para que Dom e Bruno estejam bem’, diz mulher de jornalista desaparecido

Os dois estavam numa embarcação de pequeno porte e desapareceram num trecho entre a comunidade São Rafael e o município de Atalaia do Norte, região que vive sob constante conflito

A mulher do o jornalista inglês, Dom Phillips, que desapareceu na manhã de domingo (05/06), juntamente com o indigenista da Fundação Nacional do Índio (Funai) Bruno Pereira, no Vale do Javari, no Amazonas, fez um apelo às autoridades brasileiras.

“Na floresta, cada segundo conta, cada segundo pode ser vida ou morte. Sabemos que, depois que anoitece, se torna muito difícil se mover, quase impossível encontrar pessoas desaparecidas. Uma manhã perdida é um dia perdido, um dia perdido é uma noite perdida. Só posso rezar para que Dom e Bruno estejam bem, em algum lugar, impedidos de seguir por algum motivo mecânico, e tudo isso vire apenas mais uma história numa vida repleta delas. Conheço, porém, o momento vivido pela Amazônia e conheço os riscos que Dom sempre denunciou como jornalista” afirma a mulher de Dom, Alessandra Sampaio.

Os dois estavam numa embarcação de pequeno porte e desapareceram num trecho entre a comunidade São Rafael e o município de Atalaia do Norte, região que vive sob constante conflito. Eles já faziam expedições na área fronteiriça com o Peru desde 2018 e já sofreram ameaças de morte de madeireiros e garimpeiros que tentam dominar o local.

O Brasil está vivenciando um momento de descaso total e revés político em relação às políticas indígenas. Essas inseguranças têm sido parte de nosso cotidiano”, afirma o indígena Rodrigo Tremembé.

A Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Marinha do Brasil atuam no caso. A Embaixada Inglesa mantém contato com as autoridades.

 

Com informações do Mídia India