Higienizar as mãos: um legado da Covid que não pode ser esquecido

5 de maio é considerado o Dia Mundial de Higienização das Mãos, um ato em que as pessoas estão começando a relaxar, mas deve ser mantido

Durante dois anos da pandemia da Covid-19, muito se ouviu falar na importância de higienizar as mãos após tocar em qualquer superfície, um ato que passou a ser essencial para conter a contaminação do coronavírus. Mas com o controle da doença com a vacina, muitas pessoas se esqueceram que além da Covid-19, o ato de higienizar as mãos também evita outras infecções.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a lavagem e higienização das mãos podem reduzir em até 40% o risco de contrair doenças virais, como a gripe. Além de evitar diarréias, infecções estomacais, conjuntivite e dores de garganta. Conforme o órgão, em países desenvolvidos essas infecções representam cerca de 5% a 10% das internações hospitalares, e nos países em desenvolvimento podem acometer mais de 25%.

Para conscientizar a população da importância desse ato tão simples e rápido, o dia 5 de maio passou a ser considerado o Dia Mundial de Higienização das Mãos. A data foi escolhida pela OMS para divulgar a campanha “Salve vidas: higienize suas mãos”, que tem o apoio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), que reforça as boas práticas que devem ser sustentadas ao longo do tempo e não somente em situação pandêmica.

De acordo com a infectologista Juliana Barreto (CRM: 15391-GO), que atende no Órion Complex, essa luta de conscientização à higienização das mãos já é existente há muito tempo dentro dos hospitais e agora com a Covid-19, fora deles. “É muito importante que esse hábito não se perca, pois só traz benefícios. Nós tocamos em tudo com a mão, então precisamos higienizar frequentemente”.

A infectologista ensina que após pegarmos em um animal, objeto ou local sujo, a mão deve ser lavada e higienizada rapidamente. Ela também acrescenta que essa higienização deve ser feita de forma correta para ter eficácia. “A higienização deve ser feita com álcool 70% ou com água e sabão, sempre  entre os dedos, unhas e punhos. Desta forma, todas as bactérias e vírus serão mortos e a chance de transmissão de alguma doença, cancelada”.

Erros mais comuns

Juliana Barreto orienta que devemos ficar atentos aos erros mais comuns que podemos cometer, como por exemplo, não esfregar a mão com bastante água e sabão durante a lavagem. “A lavagem das mãos não pode ser de qualquer forma, a pessoa não pode deixar cair só um pingo de água na mão e achar que está bom. Ela deve fazer uma lavagem de mão segura, de duração de 15 a 20 segundos”, comenta Barreto.

Outro erro comentado pela especialista é achar que com o álcool em gel, o uso da água e sabão não é necessário. “Os dois devem ser usados, a união deles trará uma higienização eficaz. Nada de usar substâncias que não são próprias para higienizar as mãos, usar elas podem ser prejudiciais à saúde”.

DICA

Como higienizar as mãos corretamente, segundo a Anvisa:

  1. Abra a torneira e molhe as mãos, evitando encostar na pia;
  2. Aplique na palma da mão quantidade suficiente de sabonete líquido para ensaboar todas as superfícies das mãos (seguir a quantidade recomendada pelo fabricante);
  3. Ensaboe as palmas das mãos;
  4. Esfregue a palma da mão direita contra as costas da mão esquerda (e vice-versa) entrelaçando os dedos;
  5. Entrelace os dedos e friccione os espaços entre cada dedo;
  6. Esfregue o dorso dos dedos de uma mão com a palma da mão oposta (e vice-versa), segurando os dedos, com movimento de vai-e-vem;
  7. Esfregue o polegar direito, com o auxílio da palma da mão esquerda (e vice- versa), utilizando movimento circular;
  8. Friccione as polpas digitais e unhas da mão esquerda contra a palma da mão direita, fechada em concha (e vice-versa), fazendo movimento circular;
  9. Esfregue o punho esquerdo com o auxílio da palma da mão direita (e vice- versa), utilizando movimento circular;
  10. Enxágue as mãos, retirando os resíduos de sabonete. Evite contato direto das mãos ensaboadas com a torneira. Se precisar, use toalha de papel ou de outro tipo para abrir o registro;
  11. Seque as mãos com papel toalha descartável, iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos. Toalhas de tecido podem ser usadas se você for a única pessoa a utilizá-la, mas ainda assim, lave-a a cada dois ou três dias.