Prefeitura de Goiânia não distribui mais de 20 mil cestas básicas e deixa açúcar vencer

A Conab disse que alertou a prefeitura sobre a validade do alimento por duas vezes

Os sacos de açúcar de 21 mil cestas básicas da Prefeitura de Goiânia perderam a validade após os produtos ficarem três meses parados em galpão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em Goiânia. A companhia disse que alertou a prefeitura sobre a validade do alimento por duas vezes.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Humano e Social da prefeitura, Nélio Fortunato, o contrato entre a pasta e a empresa que vende as cestas foi assinado pelo antigo gestor, já que ele assumiu o cargo há pouco mais de um mês.

“A primeira coisa que fiz ao assumir e ver a situação foi cancelar o pagamento à empresa até que ela troque todo o açúcar vencido. As cestas que estão sendo entregues agora não são as que tinham vencimento em 30 de junho”, afirma Nélio.

De acordo com o secretário, as cestas não foram distribuídas antes por falta de responsabilidade do antigo gestor. Ele afirma que vai fazer a entrega do estoque assim que o açúcar for trocado.

Mas dois meses depois da assinatura, o superintendente-regional da Conab em Goiás, Gustavo Gonçalves de Oliveira, emitiu um ofício sobre a situação dos alimentos. Ele alertou à secretaria sobre o “iminente vencimento de alguns produtos”, como do açúcar, datado para junho de 2022.

Conforme Nélio, o contrato prevê a entrega de 25 mil cestas básicas no valor de R$ 84,57 cada, que soma R$ 2,2 milhões. O antigo secretário pagou R$ 700 mil para a empresa, mas a ordem foi cancelada por ele.

Com informações do G1