Uso de energia fotovoltaica cresce e chama atenção de construtora em Goiás

Adoção de painéis fotovoltaicos para geração de energia solar ganhou força nos últimos meses na construção civil. MRV instala a tecnologia em grande parte dos empreendimentos entregues no Estado desde 2019

Aos poucos, os brasileiros vão adotando cada vez mais a energia solar como alternativa de energia limpa e renovável. De acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o Brasil ultrapassou neste ano a marca de 14 gigawatts (GW) de potência operacional solar fotovoltaica. O número, que leva em consideração as usinas e os sistemas de geração própria, é superior à capacidade instalada na Usina Hidrelétrica de Itaipu.

O número positivo pode crescer ainda mais diante da capacidade de geração de energia solar no país. Ainda de acordo com a Absolar, a geração distribuída fotovoltaica cresceu em uma taxa média de 230% ao ano no Brasil desde 2013. Esse cenário tem chamado a atenção de alguns segmentos da construção civil para proporcionar a geração de energia renovável e limpa, e ajudar o meio ambiente. Em Goiás, por exemplo, a MRV, empresa do grupo MRV&CO, investe na implantação de energia fotovoltaica em seus empreendimentos desde 2017.

Segundo o gestor executivo de obras da companhia, Antônio Caio Ribeiro, 20 empreendimentos da MRV em Goiás já contam com placas fotovoltaicas instalada, distribuídos entre os municípios de Goiânia, Anápolis, Valparaíso de Goiás e Aparecida de Goiânia. “A partir de 2019, grande parte dos residenciais da companhia passaram a ser entregues com a tecnologia, que possibilita a redução do valor da conta de energia das áreas comuns dos residenciais. Isso pode gerar um impacto positivo na conta do condomínio, já que a economia pode ser de R$ 3 mil a R$ 4 mil”, destaca o gestor.

Os painéis fotovoltaicos são instalados em cima das torres residenciais e são conectados a inversores que transmitem a energia para as áreas comuns. Com isso, o sistema pode proporcionar até 85% de economia em relação aos gastos de energia elétrica do condomínio residencial. “Além de gerar mais economia para o morador, a iniciativa contribui para reduzir os impactos no meio ambiente e deixar o condomínio ainda mais sustentável”, destaca Antônio Caio.

Goiás se destaca em relação à incidência solar no Brasil. Segundo levantamento do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o estado conta uma incidência de 2 mil a 2,5 mil horas de insolação ao ano. Isso contribui para Goiás alcançar a 6ª posição do ranking estadual, com 221,9 megawatts de potência instalada, com possibilidade de crescimento.

Metas sustentáveis

A ação desenvolvida pela MRV no Estado faz parte de um conjunto de iniciativas desenvolvidas pela companhia em todo o país. O diretor executivo de Relações Institucionais e Sustentabilidade da MRV, Raphael Lafetá, explica que a companhia é signatária do Pacto Global da ONU e tem entre seus compromissos a redução das emissões dos gases de efeito estufa e a obtenção de energia renovável, a partir do cumprimento de metas fixadas até 2030. “Esse programa é mais uma ação para o alcance desses objetivos e que vamos levar adiante com muito empenho, nos próximos anos, em busca de melhores resultados”, diz Lafetá, que chama a atenção das empresas para a responsabilidade em preservar o meio ambiente, que tem uma semana especial no país, que vai de terça, 31 de maio, até domingo, 5 de junho.

A MRV também está investindo em usinas fotovoltaicas de autoconsumo remoto, que geram créditos de energia para as obras, escritórios e plantões de vendas da empresa. A primeira usina da companhia está instalada em Uberaba, em Minas Gerais, e tem a capacidade de geração de 1 GWh/ano. Já a segunda, inaugurada neste ano na cidade de Lapão, na Bahia, conta com 750 módulos fotovoltaicos de 400w, e tem capacidade de geração média anual estimada de 490 KWh.

Sobre a MRV 

Para a MRV, a sustentabilidade é um pilar essencial para o desenvolvimento de seu negócio. O tema está presente em todas as atividades da companhia com ações guiadas estrategicamente por meio da Visão 2030 MRV, documento norteador que alinha as operações da companhia com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU). A sustentabilidade está inserida em todas as etapas do desenvolvimento das moradias, desde a escolha do terreno para a construção dos empreendimentos, relacionamento com vizinhança de obras, técnicas inovadoras de construção, até a entrega das chaves para moradores que terão itens como energia solar ou dispositivos para economizar água para garantir economia de recursos naturais. Pelo sexto ano consecutivo, a empresa integra o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da B3 e é apoiadora da Rede Brasil do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU). Seu presidente, Eduardo Fischer, é um Líder com ImPacto, que possui a missão de engajar demais lideranças a tornarem suas empresas mais sustentáveis.